5 de outubro de 2017

O Inominável

O post de hoje é sobre o livro “O Inominável”, primeira obra do autor nacional Gustavo Lopes. O livro é curtinho, com cerca de 75 páginas, e tem uma escrita tão fluida que você lê em um piscar de olhos. 

A trama se passa com um grupo de adolescentes desajustados que estudam no mesmo colégio e compartilham outra coisa em comum: são vítimas de bullying. Eles costumam se reunir na biblioteca da escola, que além de ser o local onde acontece a monitoria da narradora-personagem, Thalita, ainda é um espaço de onde os valentões costumam manter distância.

As coisas começam a se agitar quando em uma das idas à biblioteca, eles acabam se deparando com um livro peculiar, entalhado meticulosamente e cuja capa parecia abrigar um corvo.

Sem dar muita importância ao livro inicialmente, os adolescentes resolvem seguir alguns passos nele descritos e começam a acreditar que ele pode ser um grande aliado para acabar com as situações que são submetido pelos bullies. A partir daí, o que parecia inacreditável passa a assombrar e rodear as mentes do grupo cada vez mais até o Inominável mostra a face.

O enredo é bem simples, mas a narrativa é muito bem fundada e traz uma atmosfera até meio Lovecrafteana, com personagens indo rumo ao desconhecido e encontrando algo cuja existência parecia impossível.

Um dos méritos do autor é a forma bem crível como ele construiu os personagens, com a impulsividade e visão limitada típica da adolescência, mas sem subestimar sua inteligência.

Outra coisa que gostaria de destacar aqui é o bom gosto do pai da narradora, que é viciado em música. Através deste personagem, em vários momentos do livro, o autor usa o recurso narrativo de colocar músicas que conversem com os acontecimentos da história, nos brindando com sua playlist que vai de AC/DC a Pink Floyd e Dream Theater.

Pra quem se interessou, o livro está disponível para ler online gratuitamente em duas plataformas: LuvBook e Wattpad. Espero que vocês também dêem uma chance ao livro e que gostem. Se vocês lerem, por favor, comentem aqui comigo o que acharam.


    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

0 comentários :

Postar um comentário