31 de dezembro de 2016

O Retrato Oval - #12MesesDePoe

O Conto de Dezembro e o último desta primeira parte do #12MesesDePoe é “O Retrato Oval”, publicado em 1842 e cuja ambientação, tal qual Metzengerstein, é um antigo castelo.



O enredo conta a história de um jovem que é obrigado por seu estado de saúde a passar a noite em um antigo castelo medieval, apenas na companhia de seu servo.

No interior do lugar, o jovem fica impressionado com a decoração que apesar de velha, era bem rica. No cômodo que elegeram para dormir, o jovem não pôde deixar de notar a quantidade e qualidade das obras de arte que enfeitavam suas paredes e, após algum tempo, encontra um pequeno caderno contendo a história dos quadros.

Já prestes a dormir, ele percebe um quadro magnífico de uma bela mulher, dona de olhos bem vívidos e cercado com uma moldura oval. Curioso, o jovem decide procurar a história do quadro no caderninho e não tarda a encontrar e a nos narrar.

Eis que muitos anos antes, o castelo era habitado por um pintor e sua esposa. O casal era muito apaixonado, porém o pintor também cultivava grande paixão pela arte e a obsessão do pintor com suas obras causava muito ciúmes na jovem esposa.

Por ser bastante submissa e também por pensar que conseguiria mais atenção do esposo, a linda jovem aceita servir de modelo para um de seus quadros.

Animado com a ideia de produzir o que poderia ser sua obra-prima, o pintor acha num local do castelo cujo teto possuía uma brecha a iluminação perfeita para começar a pintar o retrato da esposa.

Sempre amável e complacente, a jovem não reclama das horas a fio que passava posando para a pintura. Seu marido, extremamente perfeccionista, gastou meses para tentar captar a beleza da esposa no quadro e, com isso, mal notava que a mesma começa a definhar diante dele, vez que a brecha responsável por pela iluminação ideal para o quadro, também trazia ventos gélidos que findaram por adoecer sua modelo amada.

Quando finalmente terminou o quadro para o qual empreendera tanto afinco e dedicação, ficou surpreso ao ver o quanto a obra parecia vívida e mais ainda ao olhar para onde estava a esposa e ver que sua modelo jazia imóvel no chão, morta.

Apesar de diferente dos outros contos que lemos para o projeto, “O Retrato Oval” traz dois velhos conhecidos: o narrador sem nome  e o protagonista obcecado. A preocupação e perfeccionismo com seu trabalho era tanta, que o desfocou daquela que devia ser seu maior tesouro: a vida de sua amada.    

Edgar Allan Poe foi um autor fora do comum, mas que usou muito do comum, do banal para aterrorizar personagens e leitores em suas histórias, sejam contos ou poemas. É inegável que seu legado perdura e assim o fará por muito tempo, reafirmando a qualidade de tudo o que foi produzido por ele e é uma honra participar de um projeto cujo intuito é disseminar mais ainda suas obras.

             Este é o último conto de 2016 para o 12 Meses de Poe, mas o projeto segue firme e forte, tendo sua segunda fase em 2017, quando além de um conto por mês, também leremos um poema do autor. Fiquei extremamente satisfeita em saber tanto da continuação, quanto do 'upgrade' que o projeto terá. Espero conseguir fazer parte dele mais um ano e trazer os resumos e impressões a cada mês. 



    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

0 comentários :

Postar um comentário